terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Lidos em 2016

Olá, pessoal!
Sim, abandonei vocês, desculpem-me. Mas precisei desse período sabático, não me levem a mal. A notícia boa é que inicio 2017 cantando "eu voltei e agora é pra ficar"! Senti tantas saudades! Dizem por ai que bom filho a casa torna, não é mesmo? 
2016, o período que estive fora, foi um ano esquisito e de muita mudança. Não tão glorioso quanto 2015, mas talvez tão importante quanto. Entrei no Ensino Médio e, naturalmente, a pressão aumentou assim como a carga de matérias, porém, felizmente, passei direto. Fiz 15 anos, ganhei uma festa surpresa maravilhosa. Fui a Bienal de São Paulo, assim como a algumas festinhas. Sofri com a crise do estado, cortei o cabelo, tirei o aparelho. Conheci garotos legais, outros nem tanto. Comecei a andar mais sozinha e me sentir capaz. Morei com meu pai e com meu tio (Riverside <3) e todos dizem que emagreci um pouquinho. Mas o mais importante aconteceu aqui dentro. Foi um ano de amadurecimento, de bater cabeça, de adquirir uma independência maior e me encontrar em meio ao caos. Ainda estou perdida, mas, aliás, não estamos todos? 
Não bati minha meta dos 50 livros, assim como beber mais água, ficará para o próximo ano.  

Janeiro:
1º- Isla and the happily ever after (17/01
2º- Delírios de consumo de Becky Bloom na Quinta Avenida (25/01)
3º- Samantha Sweet, executiva do lar (30/01)

Fevereiro: 
4º- Magnus Chase e os deuses de Asgard (08/02)
5º- A rainha vermelha (12/02)
6º- Garota Online (15/02
7º- La La Land (18/02
8º- Wattpad: Sob o mesmo teto (21/02
9º- Orgulho e Preconceito (29/02)

Março: 
10º- Mocassins e All Stars (31/03

Abril: 
11º- Belo Sacrifício (03/04)
12º- Desculpe, eu moro na Barra (07/04)
13º- Perdida (09/04)
14º- Romeu e Julieta (18/04)
15º- Razão e Sensibilidade (24/04)

Maio: 
16º- Eleanor & Park (11/05)
17º- O oráculo oculto (16/05)
18º- Relato de um náufrago (18/05)
19º- Azeitona (25/05)
20º- O pagador de promessas (25/05)
21º- Billy e eu (28/05)

Junho: 
22º- Como eu era antes de você (05/06
23º- Amor nos tempos de #likes (07/06
24º- A megera domada (10/06)
25º- A sereia (17/06)

Julho: 
26º- Princesa das águas (31/07)

Agosto: 
27º- Garota Online em turnê (08/08)
28º- Uma canção de ninar (17/08)
29º- Os 13 porquês (21/08)
30º- O diário internacional de Babi (23/08)
31º- Era uma vez minha primeira vez (24/08)
32º- Próxima parada (29/08)

Setembro: 
33º- Simples Assim (03/09)
34º- Cabeças De Ferro (06/09)
35º- A garota americana (12/09)
36º- Harry Potter e as Relíquias da morte (18/09)
37º- Para todos os garotos que já amei (28/09)

Outubro: 
38º- Aquele verão (04/10)
39º- PS: Ainda amo você (12/10)

Novembro: 
40º- O Erro (13/11)
41º- Caindo na real (17/11)
42º- Harry Potter e a criança amaldiçoada (23/11)

Dezembro: 
43º- Trem-bala (09/12)
44º- O natal dos Medina-Becker (24/12)

Que em 2017 possamos ser pessoas melhores e que tenhamos bons momentos e oportunidades. Além de saúde, amigos e família sempre ao nosso lado. Tenham um feliz ano novo! Amo vocês e I'm back


terça-feira, 1 de novembro de 2016

A florzinha

A chuva que bate em minha janela se confunde com minhas lágrimas. Sinto saudade dela. Uma saudade sufocante, latente e ela ainda nem se foi. Todas as vezes que penso nas risadas que não vamos mais compartilhar, nas milhas que vão nos separar e nas mensagens num smartphone que substituirão nosso rotineiro beijo de boa noite, parece que minha garganta está prestes a se fechar. Que minha vida está ruindo, pois as estruturas que as mantinha firme estão balançando. Sentirei falta do barulho de alguém na cozinha, das noites assistindo aquela antiga novela no VIVA e o brilho que ela espalha por onde passa. Ela é o sol e chuva. É de fases como a lua. É o arco-íris que por tanto tempo coloriu minha vida e agora vai a procura de novos horizontes. Ela é e sempre será a florzinha mais bonita do meu jardim. 
 Noite chuvosa de sexta-feira, 6 de novembro de 2015
6 dias antes 


terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Isla and the happily ever after - Stephanie Perkins

Olá, leitores!
2016 começou com ressaca literária. Eu não estou com interesse em nenhum livro que eu tenho na estante nem nas livrarias, mas como eu viajei e passei mal por alguns dias consegui terminar o livro que tinha levado na bagagem, "Isla and the happily ever after" publicado no Brasil pela Intrínseca como "Isla e o final feliz".


Comprei esse livro a muito tempo pelo Book Depository quando os direitos dos títulos da Stephanie ainda estava nas mãos da Novo Conceito que não tinha nenhuma previsão do lançamento. Mas demorou a entrega e, quando chegou, deixei de lado, mas depois de um tempo traduziram e eu fui tentada a ler em português  muitas vezes pelo simples fato de ser um livro um pouco mais complicado para quem não tem o inglês como primeira língua. O livro é passado na França e em Barcelona, o que adiciona algumas frases e nomes de lugares em francês e espanhol a narrativa que já está em uma língua estrangeira, além de falar bastante sobre arquitetura e arte o que requer um vocabulário que não usamos com tanta frequência. Para quem ainda está se adaptando com a leitura na língua inglesa, recomendo ler em português mesmo. 
"Isla and the happily ever after" foi uma ótima leitura. Amei o romance, os personagens tem química e é passado no universo de Anna e o beijo francês, na Cidade Luz, e em Nova York, minha cidade preferida (ainda cita a Columbia University <3). Por mais que Lola precise urgente dar umas aulinhas de autoconfiança para Isla, o último livro da trilogia deu um banho na decepção que foi "Lola e o garoto da casa ao lado". Josh é sim um garoto apaixonante, mas não tanto quanto o St. Clair. Anna e o beijo francês segue firme sendo o romance da minha vida, mas a leitura é obrigatória para todos os fãs, como eu, do primeiro volume da série (principalmente pelo final). 2016 começou com o pé direito. 

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Pessoas de papel

Olhe só para mim, escrevendo humildemente um texto como os que costumava fazer. Em madrugadas exatamente como essa. Encarando a escuridão da noite. Mas não com o mesmo olhar. Aquele olhar artístico que só brota na visão de poetas. Poetas do seu bloco de notas particular. Mas minha visão está desgastada. De tanto pensar besteiras sobre aqueles que poetizam suas vidas e suas madrugadas. Meu lado poético simplesmente se apagou. A poeta que esperava calada até essas noites frias de dezembro fez suas malas e foi embora. Não se sentia mais querida aqui dentro. Mas não era pra ela ir. Gostaria que voltasse aqui, ficasse para tomar um chá. Nunca realmente quis te esquecer. Sente-se para pensarmos juntas nessas pequenas janelinhas acesas. Volte. Para nós leigamente brincarmos de entender o amor e todas as idas e vindas do coração. A vida fica sem graça sem a arte. E sem filosofarmos diariamente. Nos tornamos vazios. Como pequenas pessoas de papel. 

Quarta-feira, 2 de Dezembro de 2015


quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Retrospectiva 2015

Olá, gente!
Estava sumida, eu sei. Esse fim de ano foi muito corrido e confuso e vocês vão entender o porquê ao final dessa retrospectiva. Obrigada por participarem desse ano tão especial e marcante em minha vida. Definitivamente um dos melhores. 

Em Abril estive em Nova York com meus pais e meu tio, passei onze dias e não vejo a hora de voltar. Algo que aprendi foi que não escrevem todas aquelas músicas sobre Manhattan em vão e Taylor Swift tem razão, a cidade é vibrante. Não dá pra descrever a sensação de estar na Times Square. 
Logo em seguida, em Julho, fiz um intercâmbio para Los Angeles com a Paula Pimenta, uma de minhas escritoras prediletas. Já fiz vários posts sobre isso aqui no blog, então não vou me estender, mas foi umas das melhores, se não a melhor, experiência da minha vida.
Em Setembro fui a capa da revista VEJA de minha cidade. 
As meninas que viajaram comigo deixaram saudades e nenhuma é  do meu estado. Já em Outubro eu estava com o coração apertado, então fui para Sabará, Minas Gerais para casa da Vick, minha sis mineira para o casamento de uma das intercambistas, a Amanda (noiva mais linda)
Então, de novembro para cá minha vida virou uma correria total. 
Meus pais se separaram. Minha mãe foi morar em Orlando e eu fui morar com meu pai. Eu fiz meu primeiro exame do TOEFL. Houve a apresentação da peça em que eu escrevi o roteiro. Eu atuei nessa mesma peça. Peguei caxumba. Estou no nono ano, portanto me formei no fundamental. Apresentei minha monografia sobre o Estado Islâmico. Entrei no livro da escola com uma dissertação argumentativa sobre minha cidade. Passei de ano direto e durante esse ano fui a 1, 2 e 3 colocada nos simulados do Enem lá da escola. Sem falar em todas as festas de 15, em uma delas inclusive perdi meu telefone e o encontrei numa privada que eu nem sequer tinha ido. Comprei outro celular. Minha mãe voltou para a cidade. Entrei pra academia. Meus pais brigaram um pouco. O Brasil está em crise, e ela chegou aqui em casa. Tudo isso em menos de 2 meses, mas continuo respirando e dormindo 8 horas por dia.  

Com a falência total de meu antigo celular, perdi todas as informações que estavam nele. Como, por exemplo, a lista dos livros lidos desse ano. Fiquei muito triste, pois todo ano eu faço e guardo o de todos os anos. Lembro que estava em 30 e poucos. Para o ano que tive li uma quantidade de livros satisfatória. Já estou com saudade de 2015, mas que 2016 venha e surpreenda. Feliz ano novo para todos vocês. <3 Que nós tenhamos muitos momentos felizes, muitos livros e muitas viagens e família e amigos para compartilharem tudo isso conosco. Amém.   

{ATUALIZAÇÃO} 

Gente, existe uma coisa fascinante chamado Icloud e eu recuperei todas as minhas notas! Tô nem acreditando ainda! 
Enfim, esses foram os lidos de 2015! Li livros maravilhosos! ❤️ Por mais que tenha começado o ano com o pé esquerdo, já que Fangirl não funcionou para mim. Também li meu primeiro livro em inglês e conheci autoras maravilhosas.

Lidos em 2015: 📚

Janeiro: 
1º- Fangirl 💩
2º- 360 dias de sucesso 
3º- Fiquei com um famoso 
4º- Simplesmente acontece 
5º- Feliz por nada 
6º- Um herói para ela 
7º- Ai meu deuses! 
8º- O menino do pijama listrado 

Fevereiro: 
9º- Ashes to Ashes
10º- Diário de um adolescente apaixonado 
11º-  O Livro dos vilões 

Março: 
12º- Um caso perdido 
13º- Paixão sem limites 
14º- Tentação sem limites 
15º- Amor sem limites 
16º- Estranha perfeição

Abril:
17º- Cinderela Pop 

Maio: 
18º- A herdeira 
19º- Elena, a filha da princesa 

Junho: 
20º- The List 
21º- Minha vida fora de série 3

Julho: 

Agosto: 
22º- Não se iluda, não
23º- Jesse's Girl 💫

Setembro: 
24º- Um ano inesquecível 
25º- Fazendo meu filme 2 (quadrinhos) 
26º- O segredo de Emma Corrigan💫
27º- Os bons segredos 
28º- Cartas a um jovem poeta
29º- Fiquei com seu número 💫
30º- Menina de vinte 💫

Outubro: 
31º- Delírios de consumo de Becky Bloom 
32º- Bela Redenção 
33º- Harry Potter e a Ordem da fênix 💫 
34º- Harry Potter e o enigma do príncipe 💫

Novembro: 
35º- A joia 

Dezembro: 
36º- A primeira chance
37º- Cabeça de vento 

domingo, 13 de setembro de 2015

O segredo de Emma Corrigan - Sophie Kinsella

Olá, leitores! 
A resenha de hoje é sobre um livro que comprei na primeira sexta feira Bienal do Livro. Queria escrever esse post depois do sobre minha experiência bienática (?), mas meus dedinhos estavam coçando para dividir minha opinião sobre a obra da Sophie, para que vocês não percam o tempo que eu perdi para conhecer essa autora maravilhosa. 


Emma Corrigan tem segredinhos bobos, daqueles que todos nós temos. Eles vão desde seu peso à suco de laranja na planta da chefe, mas o que ela não esperava é que tê-los revelado à um completo estranho quando entrou em pânico, devido a uma forte turbulência em um avião, fosse mudar sua vida até que Jack Harper, a lenda do marketing e o fundador da companhia onde trabalha, vai visitar a sede de sua empresa em Londres e então as coisas começam a ficar interessantes. Afinal, não é todo dia que seu chefe sabe de tudo sobre a sua vida, inclusive que você dá escapadas para o Starbucks no horário do serviço e pequenos detalhes diários como esse.
"O segredo de Emma Corrigan" foi meu primeiro livro lido dessa autora e não poderia ter me deixado uma melhor impressão. Foram momentos maravilhosos na companhia de Emma e Jack! Fiquei apaixonada pela personalidade de Emma e pela humildade de Jack (<3).
Confesso que quando me falaram de um tal livro engraçadíssimo escrito por uma britânica não levei fé na parte da comédia, mas me peguei gargalhando e paguei a língua. 
Sophie não é a rainha do click-lit em vão. Sua narrativa é simples, leve e envolvente. Eu devorei os capítulos e senti uma fina saudade quando cheguei ao fim. A única coisa que me conforta é que a Sophie tem vários livros publicados e posso matar a saudade de sua escrita a cada título. Recomendo para todos, mas é leitura obrigatória para os fãs de livros de mulherzinha. Dei cinco estrelas, mas gostaria de dar toda a via láctea. A tempos um livro me surpreendia tão positivamente. 
A história me lembrou um pouco "Azar o seu" da Carol Sabar, uma de minhas autoras nacionais prediletas, por mais que não tenha muita coisa a ver tirando o pontapé inicial da estória. 
Acho muito difícil resenhar livros que amei, porque a resenha nunca faz jus a obra, mas eu realmente espero ter empolgado vocês. Não percam todo esse tempo que perdi sem as palavras da Kinsella.

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Um ano inesquecível - Pimenta, Dewet, Vieira e Rebouças

Olá, leitores!
Estava ansiosa por esse livro desde que divulgaram a coautoria entre essas autoras tão talentosas da literatura brasileira. Um ano inesquecível é composto por  quatro contos, cada um passado em uma estação do ano, escrito pelo quarteto fantástico Paula Pimenta, Babi Dewet, Bruna Vieira e Thalita Rebouças. É muito amor para 400 páginas. <3

Um ano inesquecível

  • Enquanto a neve cair (Paula Pimenta)
O inverno de Paula Pimenta é abordado no frio de Vale Nevado, Chile. Mabel foi praticamente arrastada para uma viagem em família quando o que mais queria era estar no Brasil. O que a garota não sabe é que essa semana nas terras geladas da América do Sul será capaz de aquecer seu coração. 
É marmelada escrever essa resenha quando esse conto foi escrito no período que a autora estava viajando comigo. Vocês já sabem minha opinião, tudo que a Paula publica é maravilhoso e essa história não foi diferente. 
Já simpatizei com a protagonista pelo fato de ser baixinha e é simplesmente sensacional como a autora conseguiu transformar uma viagem em família numa experiência romântica. Essa Paulets só nos ilude. Não dá com ela, não. Sem dúvidas, "Enquanto a neve cair" é o melhor conto do livro.

  • O som dos sentimentos (Babi Dewet)
Babi nos traz um outono chuvoso das vidas de João Paulo e Anna Julia, tendo como cenário a Avenida Paulista. Ela, uma jovem da elite paulistana que teve a vida inteira controlada pelos pais. Ele, deixou Minas Gerais para perseguir seu sonho na capital, estudar música. E, como dizem por ai, "where words fail music speaks". 
É um bom conto, não posso negar. Nada demais, porém. A narrativa da Babi é maravilhosa, mas algo na história não me conquistou. Talvez a falta de uma problemática. Ou quem sabe a falta de sal nos personagens. 
Eu acho a Babi uma escritora e tanto, mas confesso que esperava mais. Talvez eu tenha depositado muita expectativa. Talvez, mas mesmo assim o conto está longe de ser ruim.

  • A matemática das flores (Bruna Vieira) 
A primavera de Bruna Viera se passa no último bimestre do terceirão. Jasmine está segurando a lanterna e precisando de nota para terminar o segundo grau. Até que a morena de cabelos cacheados é obrigada a ter aulas particulares com um dos alunos da faculdade de engenharia. O que acaba não sendo tão entediante como a garota previa. 
Esse conto foi o extremo oposto da Babi. Eu não esperava nada e me surpreendeu de uma forma muito positiva. Como vocês devem saber, eu não gostei muito da pegada da Bruna para os romances em sua trilogia, mas sua escrita evoluiu muito nesse livro. É clichê, mas daqueles que você gosta de ler. Não foi o melhor conto do livro, mas Jasmine foi uma boa companhia nas horas que passei ao seu lado. Aliás, sua opinião sobre matemática me representa. E muito. 
  • Amor de carnaval (Thalita Rebouças)
Carnaval do Rio de Janeiro. Três amigas. Subcelebridades. Traições. Romance. Sapucaí. 
A Thalita arrasou! Eu não sou de rir com livros, mas eu gargalhei com esse conto. Não esperava muito, pois detesto Carnaval, mas o romance foi muito bem desenvolvido e eu me peguei querendo que o conto fosse estendido. Definitivamente, "Amor de Carnaval" e "Enquanto a neve cair" foram os melhores contos do livro. Eu inclusive acho que deveriam ser estendidos. Cem páginas é muito pouco para expressar meu amor por Guima e Ben.